Banner
Banner
Banner
123
Home

Curiosidades

images/stories/garcap.jpg

No Sul da Ilha

Durante o inverno e a primavera é possí­vel avistar as baleias francas e seus filhotes no seu trajeto de volta ao continente Antártico, bem perto da praia, quando descansam e se alimentam, dando um espetáculo de força e beleza.

Sobre o açor

O açor, Accipiter gentilis, cujo nome vem do latim acceptore, é uma ave semelhante ao gavião e menor que a águia, e que vive exclusivamente da caça, o que contribuiu para que muitas civilizações demonstrassem por ele uma profunda admiração, chegando a venerá-lo com verdadeira devoção.

O açor, como as outras 223 espécies da ordem dos Acipitrí­deos, alimenta-se de mamí­feros, aves e peixes, mas também de répteis, anfí­bios, insetos e moluscos. É um povoador tí­pico dos bosques, encontrado na Europa, Ásia, norte da África, Alasca, norte do Canadá e, principalmente no arquipélago dos Açores, no Atlântico, de onde vieram, no século XVIII os imigrantes que aportaram aqui na Ilha de Santa Catarina.

Tal á importância desta ave que além de ter seu nome dado ao arquipélago no Atlântico, também se tornou verbo... Nos dicionários podemos encontrar: Açorar - v.t.d. - Despertar grande desejo em; provocar tentações em; sentir desejo veementemente, ou tentação.

Bacalhau, o legítimo

A controvérsia a respeito de bacalhau ser um peixe ou "um processo de salga de peixe" se originou por razões comerciais sobretudo, sendo que na realidade o termo bacalhau [bacalao, cod fish] designa três espécies do gênero Gadus, que são : morhua, macrocephalus e ogac.

O mais conhecido e cobiçado pelo sabor, cor e consistência da carne é o Gadus morhua, Atlantic Cod, que é pescado nas águas profundas do Atlântico Norte.

O Gadus macrocephalus, também muito saboroso, é o bacalhau do Pacífico e o Gadus ogac, o bacalhau da Groenlândia, não é tão apreciado por ter a carne mais rígida que os outros.

Os outros peixes que hoje em dia também são chamados de 'bacalhau' ( ling, saithe, zarbo e outros - até a abrótea, o "bacalhau brasileiro") começaram a ser assim denominados por razões comerciais. Nos últimos 40 anos a pesca do bacalhau 'legítimo' (gênero Gadus) diminuiu 70% e, especialmente após a 'moratória' imposta pelo governo canadense em 1992 devido à acentuada depleção do bacalhau na área pesqueira de Grand Banks of Newfoundland no noroeste do Atlântico, com a demanda em alta e oferta baixa, esses outros peixes começaram a ser vendidos como se fossem bacalhau.

Vem daí a equivocada informação de que não existe um peixe bacalhau, mas um "processo bacalhau" de salga e secagem de peixe.

A queda drástica da população do Gadus morhua naquela região se deu principalmente pelo avanço tecnológico nos equipamentos de pesca a partir dos anos 60 que possibilitou a pesca de grandes quantidades de peixe sem que fosse possível a recuperação dos cardumes. Tal depleção chegou a colocar o Gadus morhua como "vulnerável" na lista vermelha do IUCN (International Union for Conservative Nature) e do Committee on the Status of Endangered Wildlife in Canada (COSEWIC).

Mesmo com o fim da proibição da pesca por parte do governo canadense em 1997, o que ocorre é que naquela região os cardumes não se recuperaram e o status do bacalhau continua como "vulnerável".

Atualmente o país que pesca e comercializa o maior volume de Gadus morhua é a Noruega que por sua vez afirma que na sua área pesqueira, o Mar de Barrents, o bacalhau não está ameaçado. Em 2005 o WWF (The World Wide Fund for Nature), concordou com o fato do bacalhau do Mar de Barrents não estar ameaçado, mas que corre risco de ficar devido à pesca ilegal, o desenvolvimento industrial e as altas quotas permitidas para a pesca na região.

E a situação do bacalhau fica mais difícil pelo fato de, diferentemente do salmão, ser, até agora, impossível sua reprodução em fazendas. Esses peixes do gênero Gadus se reproduzem somente em águas muito frias (4 a 6 graus Celsius) e profundas (200 mts). Há pesquisas e tentativas sendo feitas, mas até agora sem resultados expressivos.

Obs.: A legislação brasileira também está atenta: a portaria 52 de 29 de Dezembro de 2000 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento determina:

2.3.11. Somente será denominado como Bacalhau o produto salgado ou salgado seco, quando elaborado com peixe das espécies Gadus morhua (Bacalhau Cod), Gadus macrocephalus (Bacalhau Pacífico) e Gadus ogac (Bacalhau Groenlandia), devendo constar, na rotulagem, o nome científico da espécie utilizada.

Referências:

http://en.wikipedia.org/wiki/Cod

http://en.wikipedia.org/wiki/Collapse_of_the_Northern_Cod_Fishery

http://en.wikipedia.org/wiki/Grand_Banks

http://en.wikipedia.org/wiki/Dried_and_salted_cod

www.cidasc.sc.gov.br

[Texto: Pedro Mesquita]

Horta orgânica do Açor